Arturo Novo Velo : “Quanto mais passa o tempo e mais competência vou adquirindo na nova ortografia, mais castelhana acho a outra”

Valentim Fagim entrevista Arturo Novo Velo, Neo-escrevente de âmbito rural. Quando pensava que já percorrera o caminho do galeguismo e já pensava que estava mais ou menos alfabetizado em galego, começou a dançar com a questão da norma e descobriu o reintegracionismo.

Continuar a ler

Jéssica Azevedo: “Feminizar de verdade seria ter uma alta percentagem de mulheres ao mando, dar-lhes uma oportunidade para que possam demonstrar do que são capazes”

Valentim Fagim entrevista Jéssica Azevedo, brasigalega, estuda na Faculdade de Filologia um mestrado de Estudos de Género. Tem um fraco para meditar sobre feminismo, galeguidade e discurso pós colonialista.

Continuar a ler

Alejandro Dayán: “Há muito mais reintegracionismo latente nas zonas rurais do que se acredita”

Valentim Fagim entrevista Alejandro Dayán dos Cortelhos, no concelho de Jove, Terra galego-falante por excelência, onde, na atualidade, as crianças podem acabar por brincar em castelhano se alguma delas não sabe galego. Estudou em Viveiro onde a sua língua era uma marca social.
Trabalhou numa agência de comunicação onde gerou todo o tipo de projetos linguísticos e os da Lusofonia flutuaram sobre ele. A partir de setembro, irá ser doutorando na Universidade de Heriot-Watt.

Continuar a ler