Carlos Lixó: “Da associação espero que continue a trabalhar na linha atual e que se esforce o máximo possível (sabendo que não é fácil) em se mostrar como um projeto de futuro para o galego, inclusivo e positivo para o conjunto da sociedade.”

Carlos Lixó está a estudar os castelos da Galiza e quer criar uma escola (em sentido amplo) de bailado galega. Tornou-se monolíngue em galego em 6º de primária, acha que se deve incidir no ensino de português e que um dos focos de ação deve ser lutar contra a lusofobia.…

Continuar a ler

Carlos Pazos-Justo: “Para o cabal entendimento da dimensão imagológica no relacionamento galego-português é necessário termos presente a imagem espanhola no exterior, forte e capaz de apagar outras.”

A imagem da Galiza em Portugal. De João de Redondella a Os galegos são nossos irmãos de Carlos Pazos, membro do departamento de Estudos Românicos da UMinho e do Grupo de Investigação GALABRA, é a última novidade da Através Editora. Uma obra onde se nos apresentam as imagens e percepção…

Continuar a ler

Marcos Saavedra: “Se quigermos criar a nação, fazer país ou que cada qual insira o termo que queira, precisamos duma sociedade civil forte e dumas instituições prestigiadas.”

  Marcos Saavedra Blanco (Ribadeu, 1982) leva já mais de trinta anos lutando contra o dito “Quem muito abrangue pouco aperta”. Tem sido camareiro, jardineiro, músico e até probou sorte no “Gran Sol”. Havana outubro do 2015, num terraço escrevendo o diário de viagem. Atualmente é estagiário na Biblioteca da…

Continuar a ler

José Manuel Pazó: “Qualquer pessoa que se achegar minimamente ao português há de descobrir as possibilidades que oferece para melhorar o galego”

Entrevistamos José Pazó Argibay, novo sócio da AGAL: trabalhador na administração, especializado em emprego, está a fazer uma tese de doutoramento sobre direito do trabalho e da segurança social. * José Pazó é orientador na administração e está especializado em questões de emprego. Como se vive em galego no teu…

Continuar a ler

Kike Martins: “Quando perguntava se no centro contavam com informação da Conselharia a respeito do ensino de português 100% das respostas foram negativas”

Kike Martins Nascido em Melide em 1978 e criado na Corunha, fez estudos de Filologia Galega na Universidade de Santiago de Compostela. Trabalhou em qualidade de bolseiro nos serviços informativos da CRTVG como assessor linguístico e, posteriormente, como bolseiro exercendo funções de Técnico em Normalização Linguística no SNL da USC.…

Continuar a ler